Nigerianos se despedem do Brasil em passeio de Maria Fumaça | unicos.cc

unicos

nigerianosnosul

Nigerianos se despedem do Brasil em passeio de Maria Fumaça

Antes de voltar a Nova Iorque, onde moram há dez anos, casal desfruta de passeio de trem pelo interior do RS

Postado em 2 de julho de 2014 por Karine Dalla Valle

Autora: Karine Dalla Valle, estudante do 3° semestre do curso de Jornalismo da Unisinos

Enquanto os músicos contratados para animar os turistas tocavam a tarantella, Ojay Obinami e Chinwe Obinami erguiam seus smartphones para registrar a cena incomum. O casal nigeriano, que mora em Nova York há dez anos, se deslocou de Porto Alegre para o interior do Estado a fim de conhecer a região Uva e Vinho, que abrange 47 cidades da serra gaúcha.

A pouco mais de 100 quilômetros da cidade-sede, os municípios serranos são famosos por sua beleza e por ser o berço da imigração ítalo-germânica no país. Por conta da diversidade, a região tem sido procurada pelos estrangeiros como opção de passeio.

Um deles é a Maria Fumaça, trem a vapor do início do século XX. É um dos principais pontos turísticas da região e faz o trajeto entre Bento Gonçalves, Garibaldi e Carlos Barbosa, parando nas estações de cada uma dessas cidade. Nessa Copa do Mundo, foi procurada por argentinos, holandeses, franceses e até mesmo chineses, de acordo com a Giordani Turismo, empresa que explora o passeio. Na semana em que a Holanda jogou contra a Austrália no Beira-Rio, os vagões da Maria Fumaça receberam cerca de 40 australianos.

nigerianosnosul2

Dentro da Maria Fumaça, Ojay e Chinwe bebem vinho e ouvem a tarantella (Foto: Karine Dalla Valle)

Apesar de não compreender a música italiana que contaminava o vagão onde estavam alojados, Obinami disse que já ouvira falar da composição, que é cantada e dançada. Ele não sabia, no entanto, que o nome da dança remetia aos espasmos violentos provocados por causa do veneno da tarântula, aranha nativa da Europa.

No ritmo da música, os dois batiam os pés no chão de madeira do trem e bebiam vinho servido em taças de plástico. Pelas janelas, a paisagem das pequenas cidades mostrava o tempo de chuva e neblina. Questionada se passava frio, Chinwe respondeu: “Moramos em Nova York, então o Rio Grande do Sul não é frio para nós”.

O casal chegou a Porto Alegre no dia 23 de junho e depois seguiu para o Rio de Janeiro. Na segunda-feira, dia em que a Nigéria enfrentou a França e deixou a Copa, os dois também deixaram o Brasil, rumo aos Estados Unidos. Apesar de terem assistido somente a um jogo da seleção nigeriana, disseram ter ficado contentes com o aconchego proporcionado pelos brasileiros no jogo contra a Argentina. “Foi legal saber que o Brasil estava torcendo por nós. Nos sentimos minoria no Beira-Rio”, disse Ojay.

Da serra gaúcha, levarão os vinhos comprados no Vale dos Vinhedos, outro famoso ponto turístico da região localizado em Bento Gonçalves e repleto de parreiras de uva, vinícolas e cantinas.

casalniogerianoCOPA

Casal assiste jogo da Nigéria contra a Argentina no Beira-Rio (Foto: arquivo pessoal)

Supervisão: professora Anelise Zanoni

Karine Dalla Valle

Repórter Unicos


facebook-unicos twitter-unicos flickr-unicos youtube-unicos creative-unicos